quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

SOFTHOUSE
video

sábado, 8 de dezembro de 2012

Looks 2013

Ola, apesar de não ser assídua aqui em  my blog, quero agradecer ao povo que  me segue e que vizualiza  :)
Bom postei, agora uns looks que amei. 

Encontrei a maioria em um site da Colcci
















domingo, 11 de novembro de 2012


Li esse texto por acaso achei interessante e resolvi posta-lo.
Espero que Gostem!!!


Como os maias sabiam tanto sobre astronomia?
Eles conheciam mais do que os europeus na época. 

Como é que chegaram lá?


Por Tiago Cordeiro 


Enquanto estiveram no auge, entre os anos 200 e 900, os maias, que habitaram a América Central, foram uma das civilizações mais cabeças do planeta. Seus conhecimentos matemáticos e de astronomia estavam não apenas à frente de todos os outros povos vizinhos, mas também dos chineses e dos europeus. Eles eram craques da matemática e foram os únicos, em todas as Américas pré-descobrimento, que desenvolveram um sistema completo de escrita. No ano 325, eles já dominavam o conceito de zero, coisa que os europeus só descobriram e começaram a usar cerca de 700 anos depois. Eles também eram excelentes observadores do céu. Em várias cidades maias, como Palenque, Sayil e Chichén Itzá, os centros astronômicos ocupavam áreas centrais. O Caracol, de Chichén Itzá (à direita), foi construído por volta do ano 1050, tinha 22,5 metros de altura e era dedicado ao deus da chuva, Chaac. Cruzando a matemática com a observação, os maias conseguiram conhecer, com uma precisão espantosa, a duração dos ciclos lunar, solar e do planeta Vênus. Eles calcularam que Vênus passa pela Terra a cada 583,935 dias – algo espantosamente próximo do número considerado correto hoje, que fica entre 583,920 e 583,940. Também definiram que o ciclo lunar dura 29,53086 dias (atualmente os astrônomos falam em 29,54059). Os maias registraram que o Sol completa seu ciclo em 365,2420 dias, enquanto que na atualidade esse número está definido em 365,2422. Com base nesses conhecimentos, eles criaram um conjunto de calendários complexos e interligados que, juntos, formavam um dos sistemas de contagem do tempo mais precisos de sua época. Hoje sabemos que os maias estavam certos em seus cálculos. Mas como foi possível que eles avançassem tanto sem usar nenhum tipo de lente? Entre os europeus, a astronomia só começou a avançar mais rápido lá pelo século 17, quando Galileu Galilei se apropriou da invenção do telescópio, registrada pelo fabricantes de lentes holandês Hans Lippershey, para olhar para o espaço. É difícil saber como os maias chegaram a essas conclusões porque, enquanto Galileu localizava manchas no Sol e identificava o planeta Júpiter, os espanhóis se empenhavam em destruir a civilização maia. Como os maias não tinham um reino unificado, foi um processo lento, em que cada cidade-Estado caiu sozinha. A última, Tayasal, foi derrotada em 1697. Todas elas foram saqueadas e tiveram bibliotecas e templos queimados. “Não conhecemos as pesquisas deles em detalhes, porque os espanhóis destruíram tudo o que encontraram pela frente. É certo que o que sobrou é apenas um resíduo do conhecimento que eles tinham construído”, diz o antropólogo americano Marcello Canuto, professor da Universidade Yale, nos EUA. Poucos documentos resistiram. O mais importante deles é o Código Dresden, um manuscrito que reúne praticamente tudo o que sabemos sobre os conhecimentos matemáticos e astronômicos deles. Nesse texto de 39 folhas, escritas dos dois lados, encontram-se não só a descrição de rituais religiosos mas também os cálculos para a previsão de eclipses e as conclusões a respeito do ciclo de Vênus – que funcionava como uma referência para a data das colheitas e para a escolha da época mais favorável para guerrear. Curiosidade: Calendários marcavam datas de festas e sacrifícios Os maias tinham uma maneira curiosa de registrar o tempo. Mais do que simplesmente contar os dias, seus calendários tinham a função de identificar as datas propícias para cada atividade. Os pesquisadores sabem que, a partir de combinações matemáticas, eles faziam uma espécie de prognóstico astrológico para prever o que iria acontecer numa determinada data. Dependendo dessa previsão, o dia podia ser reservado para o trabalho na colheita ou para rituais religiosos, quase sempre acompanhados de sacrifícios aos seus deuses. 

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Os Sapatos Mais caros do Mundo


Sapato de diamantes será leiloado por meio milhão de dólares
Produzido na Nova Zelândia, o calçado é inteiramente cravejado de brilhantes


O sapatos mais CaRo$ do mundo



1º Lugar – Rita Hayworth Heels, de Stuart Weitzman - 3 milhões de dólares.
Os detalhes de flor dos sapatos eram brincos cravejados de rubis, safiras e diamantes que pertenceram a uma das lendas do cinema dos anos 40 – a atriz Rita Hayworth. A musicista Kathleen Bird usou os sapatos na premiação do Oscar de 2006. Fonte: Getty Images


2º Lugar – Cinderella Slippers, de Stuart Weitzman - 2 milhões de dólares.Cravejados com diamantes de 595 quilates, um dos sapatos possui um diamante amaretto que vale, sozinho, 1 milhão de dólares. A cantora Alison Krauss usou os sapatos no Oscar 2004. Fonte: Getty Images



3º Lugar – Tanzanite Heels, de Stuart Weitzman - 2 milhões de dólares.A peça é decorada com tanzanitas de 185 quilates e diamantes de 28 quilates. Os rumores indicam que o sapato foi criado para o Oscar de 2009, mas nenhuma celebridade foi fotografada desfilando essas joias. Fonte: Divulgação



4º Lugar – Ruby Slippers, de Stuart Weitzman - 1,6 milhões de dólares.
A inspiração para a criação desses sapatos veio dos sapatinhos de rubi usados por Dorothy, em O Mágico de Oz. A peça tem 642 rubis redondos que totalizam 120 quilates. Fonte: Divulgação





5º Lugar – Platinum Guild Stilettos, de Stuart Weitzman – 1,1 milhões de dólares.
Os sapatos são feitos com 464 diamantes incrustados em platina pura. A atriz Laura Haring escolheu os sapatos para acompanhar seu colar de 27 milhões de dólares na festa do Oscar 2002. Fonte: Getty Images





quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Especial HEBE CAMARGO

Reuni umas fotinhas da HEBE, só para registrar, momentos de quem foi com certeza a rainha da nossa televisão...
























A palavra glamour remetia a Hebe, pois onde ela passava espalhava alegria e muito mas muito glamour.

A Rainha era pra lá de luxuosa

Saudades Hebe!